ALMANAQUE DO ROBERTO



Página de recados de Roberto Carlos


Deus Salve o Roberto
13 de Março de 2020
comentar   tweet





Aqui em Lages - SC, comprei esta bicicleta para se deslocar pela cidade. Comprei esta bicicleta para continuar realizando os meus tratamentos, cursos e sonhos.

**********

Quando eu tinha uns cistos na cabeça, disseram que eu mandei algum médico implantar os cistos para ganhar dinheiro.

Depois que eu consegui pagar o cirurgião geral o Dr Alceu Fernandes de Lages para retirar todos os cistos do meu couro cabeludo, eu fiquei nos semáforos com a cabeça enfaixada. E uma família num carro com placas de São Joaquim-SC, me vendo todo enfaixado,  ficou me agredindo e me ofendendo nos semáforos de Lages, dizendo que eu estava enganando as pessoas. Que eu era safado, malandro, sem vergonha, etc. 

**********

Outro com com placas de Lages-SC, além de me ofender com palavras, ainda retirou o cinto, e encenou que iria sair do carro para me agredir fisicamente. Mesmo eu tendo feito cirurgia.

**********

Esses dias eu estava fazendo tratamento odontológico com a Dra Michéle Ribeiro aqui em Lages, alguém na rua mexeu  na minha bicicleta que estava no cadeado num poste, fazendo o banco cair bruscamente enquanto eu pedalava.

**********

Outro dia eu saí de outra consulta com o periodontista Dr Maurício Cordeiro, e fui enxotado da Café Di Roma. Entrei na lanchonete apenas para ver a vitrine e não comprei nada de lanche. Ao sair o dono começou a gritar para as mulheres que estavam na cozinha : "PUTA QUE PARIU. SÓ ENTRA POBRE DE MERDA AQUI DENTRO".  Retornei e perguntei se eu havia feito alguma coisa de errado. E ele respondeu bruscamente : NÃO. CAIA FORA DAQUI. SE MANDA DAQUI. VAI, VAI, VAI...

********** 

COVID-19 (antes, durante e depois) - Um velho relaxado que trabalha no Posto Guarujá em lages-SC, que fica na avenida Dom Pedro II, 1131, ele pega no dinheiro de vários clientes e vende café colocando as mãos e os dedos dentro do copo. Qualquer cliente desatento vai tomar café colocando a boca naquele copo todo contaminado, dentro e nas bordas suja pelas mãos e dedos desse velhaco indiferente a saúde do próximo. Vale lembrar que os alimentos são mais caros. E quando você adoece através dos ALIMENTOS contaminados, você vai ter que consumir REMÉDIOS, que são ainda muito mais caros. 

**********

CHURRASCOS CORAL na Avenida Camões em Lages  - Fui uma vez comprar marmitex e nunca mais voltei. Eles atendem sorrindo. Mas são muito desatentos e relaxados. O homem pegou o meu dinheiro com as mãos. E depois enfiou aquelas mãos sujas e contaminadas com o dinheiro de vários outros clientes no interior do marmitex. E o pior que ele estava mastigando um pedaço de carne com uma das mãos e falava com a boca aberta. Chegava a cair migalhas de farofa da boca aberta. Ele fez a minha marmitex limpando a boca com a os braços da camisa sem mangas. E deu o troco segurando o marmitex com as mãos sujas de carne e dinheiro. LEMBRE-SE : os remédios são mais caros que os alimentos.

********** 

PANIFICADORA DA CIDADE em Lages - Esta padaria fica ao lado do hotel Centauro. Nesta padaria o dono ao invés de pegar na orelha da xícara de café, ele enfia as mãos dentro da xícara. Ele enfia a mão esquerda dentro da xícara. E ao passar a xícara para a mão direita, ele repete o gesto. Ele faz isso sem lavar as mãos : pegando dinheiro e dando o troco,  pegando em maçanetas para fechar porta de banheiro, jornal, chaves, celular, cumprimentando pessoas, etc. E o pastel ele pegou com os dedos da mão. Quando eu vi ele puxando e arrumando o pastel com as mãos, eu disse : NÃO QUERO MAIS O PASTEL. 

NÃO É MIMIMI  : Quando você perde a SAÚDE causado por alimentos contaminados, você vai precisar comprar remédios para se CURAR.

LEMBRE-SE : os remédios são mais caros que os alimentos. 

**********

Todos os moradores de Lages-SC, ficam dentro de suas casas e de seus carros falando mal da gente. E alguns covardes se aproveitam para me assaltar, me agredir, etc. Aqui em Lages-SC, um velho e um jovem  que estavam num fiat de ferro velho, entraram na loja Focinhos Pet Shop para me agredirem. Eles pararam o fiat numa placa de Pare, que fica na descida da Rua 7 de Setembro. Por mais segurança e por falta de confiança, dei a volta e passei por trás desse fiat. Os ocupantes do Fiat começaram a me xingar, a dizer palavrões e ameaças. Eu entrei na Pet Shop para oferecer o meu jornalzinho. Eles pararam o fiat na frente da loja, que fica distante da placa PARE. Desceram do carro para me ameaçar. O velho do fiat, chegou a barrar a minha saída da loja.
Erra quem pode. Quem não pode se sacode. Quando acontece essas coisas comigo:  ninguém viu; ninguém sabe; etc.
Eis o que diz o CTB :
Art. 170. Dirigir ameaçando os pedestres que estejam atravessando a via pública, ou os demais veículos:
Infração – gravíssima;
Penalidade – multa e suspensão do direito de dirigir;
Medida administrativa – retenção do veículo e recolhimento do documento de habilitação.

 

**********

Você sabia que o café quente em contato com o copo plástico pode liberar toxinas cancerígenas?
Os copos plásticos possuem poliestireno (derivado do petróleo) que submetido ao calor libera o estireno, monômero tóxico apontado como cancerígeno. O contato com o estireno ocorre no momento em que se bebe um líquido quente, como o café.
Além do estireno, o plástico presente em utensílios de plástico e no revestimento interno de embalagens de comidas e bebidas libera, especialmente quando aquecido, uma substância chamada bisfenol A. O bisfenol é uma toxina que migra para os alimentos e pode então ser ingerido.
O que fazer então ? Primeiramente, evitar o uso do plástico como embalagem, restringindo esse uso somente para frutas e vegetais frescos. Evitar beber chás e café ou outras substâncias quentes em copinhos plásticos, hábito comum em restaurantes e lanchonetes. Não aquecer alimentos ou bebidas em embalagens plásticas, especialmente no microondas.
Traga sua caneca de casa, preserve o meio ambiente e sua saúde!
**********
NÃO É MIMIMI : Nas padarias e lanchonetes sempre exijo que me sirvam café em xícara ou copo de vidro. E os donos das lanchonetes e padarias ficam brabos com a gente. Alguns até humilham a gente na frente dos demais clientes. Outra coisa que exijo, é que os donos e funcionários que manuseiam alimentos, não enfiem as mãos e os dedos dentro de copos e pratos. Pois os alimentos contaminados pelas mãos, adoecem. E os remédios que curam, são muito mais caros que os alimentos.
**********
MYATÃ de Lages - SC - As pessoas dentro e fora de casa gostam de confusão. Vivem, dormem e se alimentam de confusão. Eu fui comprar comida no mercado. E uma velha conversava com a moça do caixa, sem distância nenhuma. A vassoura de "1,20 cm" da velha estava deitado no balcão da caixa. E eu estava distante da velha e da vassoura. Fiquei parado olhando as duas de blá-blá-blá. De repente a velha sem gentileza e sem educação (na pedrada mesmo), se vira pra e mim e diz : VAI MAIS PARA TRÁS. FICA LÁ ATRÁS DAQUELA LINHA AMARELA. NÃO SE APROXIME MUITO. Eu fiquei quieto na fila. Ao sair do mercado, um velho encostado num carro, fica espirrando sem lenço ou sem colocar o braço na frente para não espalhar as gotículas. O velho safado e indiferente fez de conta que nada aconteceu. OBS : nunca tape o nariz para segurar os espirros. Se você fizer isto, você vai estourar os tímpanos. Espirre a vontade, mas com educação e respeito aos outros. Nunca atire os espirros nos outros. LEMBRE-SE : Quando você era criança a sua mãe dizia : ENGOLE ESSE CHORO. Ela não dizia engole esse espirro.
**********
Em Lages estou matriculado na Auto Escola Top Sul. Estou na categoria B. Se a minha vida melhorar eu quero fazer a categoria C na minha querida cidade de Itajaí-SC. Tenho muita saudade do Colégio Nereu Ramos, de onde fui expulso no melhor momento da minha vida. Espero recuperar o tempo perdido. 

**********

Quando estou vendendo o meu Almanaque do Roberto, as pessoas dizem : O patrão não está.

**********

Quando estou sendo assaltado ou sendo agredido a polícia sempre diz : no momento não tem viatura disponível, etc.

**********

Jesus Cristo nasceu numa manjedoura. E o Roberto Carlos Moreira nasceu numa lata de lixo.

**********

LOJAS NARCISO em Lages : eu sempre comprava centenas de bolas e brinquedos nesta maldita loja para distribuir gratuitamente para as benditas  crianças de São Joaquim-SC. E não consegui vender um exemplar do meu jornalzinho nesta loja. Para o dono e os funcionários da Narciso, é dando que que se perde tudo. Mas a bíblia diz :  Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber.” (Atos 20:35).

**********

CLINITRAUMA em Lages - fiz exames e paguei tudo em dinheiro e a vista nesta clínica. Não vendi nenhum exemplar do meu jornalzinho nesta clínica zolhuda. Não recebi nenhum centavo. Mas deixei alguns exemplares do Almanaque do Roberto de graça nesta clínica.

**********

CENTRO CLÍNICO, número 16 em frente da DPCAMI ou Delegacia de Polícia Civil de Lages. Eu distribuí gratuitamente um exemplar do meu jornalzinho para o porteiro e demais inquilinos desse maldito prédio. Para fazer tratamento dentário ali perto, sou obrigado a passar na calçada desse Centro Clínico. E o porteiro sempre que me vê larga a portaria para ficar nas escadas zombando, provocando e me encarando.  

**********

Eu distribuí gratuitamente  cerca de 50 mil exemplares do meu Almanaque do Roberto por todas as casas e lojas de Lages - SC. Se os moradores quisessem me ajudar, eu não precisaria ficar muito tempo nos semáforos. Eu ficaria mais tempo nas clínicas fazendo tratamentos e cirurgias. Eu ficaria também dia e noite recuperando o tempo perdido fazendo cursos profissionalizantes em auto escolas; Senac; Senai; etc.

***********

Todas os livros e revistas que compro nas bancas para ler, eu sempre acabo doando escondido para as salas de espera de clínicas, laboratórios, etc. Eu leio tudo, e ao invés de jogar fora, eu levo para compartilhar escondido nestas salas de espera. Pois se as pessoas souberem que as revistas e os livros eram meu, acabam jogando tudo fora. "Comida, água e livros a gente não deve desperdiçar."

**********

Esses dias eu estava distribuindo gratuitamente exemplares do meu jornalzinho nas casas e lojas do bairro Jaraguá em Lages. E ficava um cachorrinho me seguindo pelas ruas e avenidas desse bairro. Um casal jovem que caminhava na minha frente, começou a chutar  o vira-lata e a olhar enfezado para mim. Eles pensaram que o cãozinho fosse meu.

**********

Nas rodoviárias de todo o Brasil, ao invés de encontrar familiares, amigos e parentes me aguardando, só encontrava policiais me esperando e zombando da gente. E quando eu estou sendo assaltado ou agredido, a polícia desaparece. Preciso urgente ter uma família.

**********

Isolamento Social  na era Covid-19 - Todas as pessoas que se aproximam da gente, são piores que o coronavírus : se aproximam da gente para me fazerem mal.

**********

Aqui em Lages - SC, as pessoas passam o dia inteiro rindo e explorando todos os meus problemas pessoais. Eu nem olho mais para as pessoas, para não ver elas rindo, debochando e  apontando o dedo para a gente nas ruas e no trânsito. Parei de sorrir. Parei de dizer Bom dia, boa tarde e boa noite. Não brinco, não mexo e nem converso com as pessoas. Até quando vou brincar com os animais na rua, aparece algum covarde para infernizar a minha vida.

**********

As pessoas mexem comigo até quando estou lendo um dicionário da língua portuguesa : TÁ LENDO A BÍBLIA ? TÁ SE FAZENDO DE SANTO, É ?

**********
Num sábado desses fui almoçar num restaurante perto do bairro Petrópolis, aqui em Lages. O dono apagou todas as luzes quando me viu sozinho numa mesa. Assim que um homem preto e bem vestido estacionou o carro e entrou no restaurante, as luzes do restaurante foram todas acessas.

**********
Aqui em Lages as pessoas tem muito ódio e raiva da gente. Coloquei vários BANNER iguais aos da foto acima, numa avenida movimentada na frente da rodoviária. Várias vezes foi arrancada, cortada, rasgado, triturado, roubado, etc. Numa avenida que é passagem obrigatória de policiais, agentes penitenciários, bombeiros, agentes de trânsito, guardas municipais, defesa civil, etc.

**********
Nesta manhã de Domingo do dia 23 de fevereiro de 2020 em Lages, distribui o Almanaque do Roberto gratuitamente em todas as casas do bairro Petrópolis. Uma mulher raivosa que mora na Rua Laguna, número 135, pegou e rasgou o meu jornalzinho, na frente da filha. Depois mandou a filha ficar tirando fotos ou selfies da frente da própria casa. Moral da história : o perigo e o mal exemplo estão dentro de casa.

**********
Num fim de semana desses em Lages, fui  pagar e comer banana com água na Confraria da Mercedes. Fiquei sentado e quieto numa cadeira e mesa. Uns idiotas que enchiam a cara de cerveja e cachaça, deixaram cair um maço de dinheiro no chão. E sairam para fora. As câmeras deve ter pego a safadeza desses manguaceiros. No trânsito esses cafajestes atropelam ou matam pessoas sob o efeito do álcool. E para fazer isca de dinheiro, esses safados nunca estão sob o efeito do álcool.

**********
Fiz vários  tratamentos com o dentista Dr. Maurício Cordeiro, que fica ao lado da antiga delegacia de Lages-SC. Num desses tratamentos fui olhar a vitrine da lanchonete CAFÉ DI ROMA, no centro de Lages. Olhei a vitrine e fui embora sem comprar nada. O dono da lanchonete deu um grito olhando para as mulheres que estavam na cozinha : PUTA QUE PARIU,AQUI DENTRO SÓ ENTRA CADA POBRE DESGRAÇADO (os guardas da previdência social em frente devem ter ouvido). Voltei e perguntei para o dono da lanchonete se eu lhe fiz alguma coisa ? E ele respondeu : NÃO. SE MANDA DAQUI, CAÍ FORA , SE MANDA. VAI LOGO.

**********

SUPER ALVORADA DE LAGES - SC    - Não existe RACISMO, existe é PRECONCEITO SOCiAL :  Todos os seguranças PRETOS e brancos, me caçam e me perseguem rindo todos os dias pelos corredores do Alvorada. São piores que o Boko Haram.

Eu sou a única pessoa branca HUMILHADA todos os dias no ALVORADA.
Eu sou o único cliente que não tem carro; casa;  família; roupas de grife; móveis; conforto; etc.
E o pior, é que todos os clientes que tem carro, sabem o que ocorre em minha volta. E ainda acham graça, acham normal, acham divertido, etc. É TUDO DE PROPÓSITO E PREMEDITADO.
O mercado possuí câmeras para vigiar TODOS os clientes.E o segurança ilegal serve para humilhar ALGUNS clientes.

**********

As pessoas não mudam nem depois do Natal; do Ano Novo; da Páscoa, do Covid-19, etc.
Comprei e paguei à vista na (rgepi.com.br) RG Equipamentos de Proteção Individual Eireli de Lages - SC, uma máscara no valor de R$ 30,00. Comprei este tipo de máscara para não ficar desperdiçando água e também para não ficar gastando dinheiro com máscaras descartaveis. E fui muito mal atendido pela funcionária de nome ANNE. Comprei a máscara, e a funcionária não quis dar informações e ensinar como usá-la. Ela alegou que eu mandei ela colocar as mãos. Eu não pedi para ela colocar as mãos. Eu pedi informações e para ela me ensinar a usar a máscara. E a máscara e o filtro estavam embalados em plásticos. Então não tinha como ela colocar as mãos. Eu vi ela colocando as mãos na mesma máscara que ela estava oferecendo para uma cliente. Eu perguntei, porque na máscara dela você põe as mãos ? Ela de novo alegou que a cliente chegou primeiro. Só que num momento ela largou a cliente que fazia muitas perguntas, e nunca comprava a máscara, para atender um senhor que chegou muito depois de mim. Em nenhum momento ela quis me atender. Eu tive que agir como PENETRA.
As CÂMERAS da loja pode confirmar tudo o que eu estou narrando. As CÂMERAS não tem áudio. Mas eu consigo narrar tudo o que aconteceu. Eu autorizo o dono da loja a divulgar o vídeo nas rede sociais. A imagem vale mais que mil palavras.
Eu saí sem saber como se usa a máscara. Nem a embalagem, as instruções e a caixa vieram comigo.
E na máscara está escrito : VALIDADE 3 ANOS APÓS A FABRICAÇÃO 11/2019. O uso incorreto pode resultar em enfermidade ou morte.
Consegui estas informações lendo o conteúdo que estava na máscara. E mais nada.
Espero que o dono da loja me dê as informações por e-mail (almanaquedoroberto@gmail.com), pois a minha presença física, é impossível. A minha história e a foto da máscara eu vou adicionar no meu site e no meu facebook.
**********
PADARIA SANTA MARTA em Lages - Durante o isolamento da covid-19, fiquei sentado do lado de fora da padaria num Domingo assistindo aulas,testes e questões online de uma auto escola. Todos os clientes sem carro ou com carro entravam e saiam rapidamente da padaria, pois era proibido fazer lanche dentro da padaria. E bem no momento que eu assistia aulas online pelo meu notebook bichado, um homem parou e estacionou o carro com o som ligado. Desligou o motor e deixou o som do carro ligado sem ninguém dentro. Ele ficou mais de 30 minutos dentro da padaria. E saiu apenas com uma sacolinha. Quando ele deixou o carro desligado e o som ligado, ele não se lembrou da bateria ?
Isto é falta de bom senso, respeito e vergonha na cara dos covardes que moram em Lages.

**********

NAZISMO E DITADURA - durante as vendas do Almanaque do Roberto nunca tive apoio, incentivo e suporte de policiais; milicianos; bombeiros; defesa civil; socorristas do Samu; bandidos; políticos; corruptos; shoppings; jornalistas; seguranças pretos; empresas e empresários que sonegam impostos; comerciantes que compram produtos vencidos, roubados e contrabandeados; consumidores de drogas que sustentam os traficantes/estupradores;  etc. Eles me caçam e perseguem rindo e debochando. Nem lágrimas de crocodilo eles soltam quando estão longe das câmeras de TV. Alguns desses covardes me dão rasteiras. E outros dão risadas. Exploram os meus problemas pessoais, para me causarem mais problemas. Não poupam nem eu e nem o combustível das viaturas. Sem dó, sem piedade e sem respeito.  ABUSO DE AUTORIDADE - Os criminosos agora não tem mais rosto, cor e nem cheiro. Filmar ações de bandidos ou policiais em público sempre foi uma tarefa muito perigosa. Eu confio muito mais nas câmeras. As câmeras não comem; não bebem; não fumam; não cagam; não mijam; não discriminam; não fazem greve; etc. ABASTADOS - os abastados ficam rindo da gente. E quando acontece com eles, eles depredam aeroportos e se matam no trânsito. FEMINICÍDIO -  até as mulheres que sofreram violência, ficavam rindo e debochando da gente. PRAGAS - nos velhos envelhece tudo. Menos a língua. VERDE - eu quero ter uma casa da cor da grama por dentro e por fora. BIBLIOTECA - eu ficava dia e noite lendo, conhecendo e estudando os quase 10 mil livros da biblioteca escolar do Colégio São José em São Joaquim-SC, para ajudar a comunidade escolar. Nunca tive lazer nos feriados e fins de semanas. E ainda fui escravo dos funcionários. Eu devia ter pensado mais em mim. Eu enchia a biblioteca de alunos, pais e professores só para se incomodar. SEMÁFOROS - vendendo o Almanaque do Roberto nos semáforos, pretendo recuperar o tempo perdido lendo, treinando matemática, suando e caminhando. Se os covardes não quiserem pagar o meu trabalho e o meu Almanaque do Roberto em dinheiro, que me tragam frutas, verduras e legumes. PESADELOS - nunca foi o meu sonho se tornar Vagabundo, Morador de Rua e Mendigo nas ruas e semáforos de Lages. AUTO ESCOLA - pagarei adiantado uma auto escola e "fingirei"  que estou  aprendendo a dirigir nas ruas e avenidas de Lages. E torcerei que nada de ruim me aconteça neste trânsito selvagem. Etc.

**********

AINDA NÃO ESTOU COLHENDO O QUE PLANTEI

- Doei um freezer para Apae de Itajaí-SC.
- Distribui gratuitamente o meu Almanaque do Roberto, em todos os lares de São Joaquim-SC.
- Eu levava centenas de crianças para treinar futebol e volei  de graça no ginásio público de esportes de São Joaquim-SC. Em troca eu era perseguido e apanhava de todos os diretores de esportes da cidade.
- Eu comprava e dava  bolas de graça para as crianças e escolas de São Joaquim-SC.
- Doei centenas de brinquedos para uma escola ou orfanato que fica entre Canoinhas-SC e Três Barras-SC.
- Uso o Almanaque do Roberto, para divulgar a cidade mais visitada do Brasil. Divulgando a Cidade Maravilhosa, ajudo a melhorar a vida de milhares de pessoas. Nunca  serei reconhecido pelos eleitores, governadores, deputados, senadores, prefeitos e vereadores daquela cidade.
- Comprei 300 bíblias para serem doados aos presos de Itajaí-SC. Etc.
**********
VALORIZE O MEU TRABALHO
1 - Eu trabalhava de Domingo a Domingo, acordando  as 07 horas da manhã na biblioteca escolar do Colégio São José, em São Joaquim-SC. E ainda fui escravo dos demais funcionários (as), através da merenda escolar. Por conta dessa escravidão, eu conseguia terminar o meu trabalho na biblioteca (limpeza, organização e demais serviços), todos os dias  só depois da meia noite.
2 - Eu trabalhava de Domingo a Domingo, acordando  as 07 horas da manhã  vendendo sorvetes e picolés nas praias de Navegantes e Itajaí-SC. Fui o melhor vendedor da Sorveteria Stringari, durante várias temporadas.
3 - Atualmente trabalho de Domingo a Domingo, acordando as 05 horas da manhã com as vendas do meu abençoado Almanaque do Roberto, em todo o Brasil.
**********
GOIÂNIA  GO -  Resumo : Doei  um bom dinheiro para uma entidade de São Joaquim - SC, achando que as pessoas iriam me tratar com mais amor, carinho e respeito na capital de Goiás. Fiquei sem nada na minha poupança. As ofensas, humilhações e perseguições  continuaram com mais intensidade nos semáforos.  Após a minha doação para uma entidade joaquinense, os moradores de Goiânia me transformaram em Mendigo e Morador de Rua. Ninguém comprava o meu Almanaque do Roberto. Para ver se o problema era EU ou o meu Almanaque do Roberto, passei a vender sorvetes e picolés nas ruas de Goiânia. Nem sorvetes e picolés eu conseguia vender. Os moradores boicotavam tudo o que eu vendia. Os moradores de Goiânia, diziam que a minha doação para uma entidade, era tudo mentira ou farsa. Paguei 3 anúncios nos jornais locais com a minha foto e o endereço do meu site, para as pessoas me ajudarem. Paguei estes anúncios para ficar menos tempo nos semáforos, e ficar mais tempo fazendo tratamentos e cirurgias nas clínicas. Por causa da minha aparência, os donos de restaurantes me tratavam como cachorro de rua : não deixavam eu entrar nos restaurantes; nem a sentar com os demais clientes; etc. No Natal eu desejava Feliz Natal, para os motoristas que paravam nos semáforos com os vidros do carro fechado. E acomodados em seus carros os motoristas ignorantes respondiam bruscamente com gestos de Não, com a cabeça e com os dedos da mão. No Ano Novo, os motoristas covardes e com os vidros do carro fechado, também não ouviam o meu desejo de Feliz Ano Novo.
***********
LAGES  SC - Resumo :  Aqui em Lages as humilhações, perseguições e ofensas continuam. Agora os covardes alegam que é porque eu peguei o meu dinheiro de volta.  Eu tinha doado 134.725,86 (centro e trinta e quatro mil reais para uma entidade de São Joaquim-SC). Foi devolvido cento e dez mil reais. E descontados cinco mil reais de indenização de danos morais para esta entidade e mais  15 % de honorários  para o advogado da entidade. Atenção : este fato não foi publicado pelo Correio Lageano e nem pelo São Joaquim Online. Nos semáforos de Lages os covardes não olham para mim. Zombam da gente. Ficam encarando e olhando torto. Mandam eu trabalhar. Me chamam de vagabundo, sem vergonha, pilantra, safado, etc. Chamam o meu Trabalho de Malandragem.  Os covardes ameaçam me bater. Os motoristas covardes  só botam o cinto de segurança, quando me olham nos semáforos. Fecham os vidros do carro na minha cara. Os covardes tem Carrão, mas não tem Educação. Já que os covardes de Lages vão me transformar em Mendigo e Morador de Rua, vou aproveitar para ler bastante e treinar matemática nos semáforos. Consegui zerar o excesso de ácido úrico no meu sangue. E ao invés de dinheiro os covardes me oferecem propositadamente tudo o que foi proibido pelos meus médicos : balas, doces, pirulitos, chocolate, paçoca,  guloseímas, macarrão, leite, Etc. Os filhos deles não podem aceitar coisas de estranhos. E porque eu devo aceitar coisas de estranhos ?
**********
ITAJAÍ  SC -  Durante várias temporadas fui o melhor vendedor de picolés e sorvetes da Sorveteria Stringari (stringari.com.br), em Itajaí-SC. Era uma época excelente para se vender sorvetes nas praias. Hoje em dia o tempo e a temperatura mudaram muito. No inverno, durante a baixa temporada, eu vendia sorvetes e picolés na porta do Colégio Nereu Ramos. Eu também estudava a noite no Colégio Nereu Ramos em Itajaí (o Colégio São José de São Joaquim-SC,  enviou a transferencia de matrícula através dos correios). Quando me formei ou entrei para o segundo grau, fui aplaudido de pé por todos os alunos. No ano seguinte com o dinheiro dos sorvetes e picolés, mandei uma pequena metalúrgica construir o carrinho de pipocas mais bonito e moderno de Itajaí. Com o carrinho de pipocas, comecei a vender mais que a cantina da escola : água mineral, refrigerantes, pastel, coxinhas, salgadinhos, etc. Por causa disto a direção e a família do dono da cantina da escola, começaram a me perseguir. Fizeram a polícia procurar drogas no meu carrinho de pipocas. Começaram a exigir uniforme escolar. Começaram a me proibir de estudar. Diziam que eu fingia que estudava, para ganhar dinheiro na frente da escola (Se eu continuasse fingindo que estudava, eu já estaria bem formado e casado há muito tempo). Eu resolvia o problema do uniforme escolar, aparecia outro problema. Alegaram até que eu não tinha *filhos para sustentar, prestações de carro para pagar, etc.  A mensalidade da escola eu pagava em dia. A prefeitura e a polícia levaram o meu carrinho de pipocas, por várias vezes. Eu nunca fugia e nem se  escondia, porque eu tinha o alvará anual da prefeitura. A foto do carrinho deve estar nos arquivos da prefeitura. Quem levava o carrinho de pipocas, era o caminhão da Secretaria de Obras. E quem fotografou o meu carrinho, foram alguns homens escondidos numa Kombi da Secretaria da Fazenda. E os PMs ficavam zombando e rindo da gente.  Sem o carrinho de pipocas, não voltei mais para a escola. A direção não permitia que eu estudasse ou vendesse qualquer coisa na frente da escola. Quando eu vendia na frente da escola, era mais fácil estudar e fazer os deveres da escola ou de casa. Voltei a vender sorvetes e picolés nas praias. Encontrei um excelente ponto para vender sorvetes e picolés, na fila do ferry-boat. Paguei o alvará anual na prefeitura de Navegantes. Eu tinha a permissão da prefeitura para vender sorvetes na fila do ferri-boat. Mas o segurança ilegal  da prefeitura me ameaçava e me perseguia todos os dias o dia inteiro. Foram alguns meses de ameaças e intimidações. Quando esse segurança não cadastrado na PF derrubou o meu carrinho, os picolés e sorvetes se esparramaram pelo chão. Ele começou a pisotear tudo o que estava ao chão. Joguei tudo no lixo. E devolvi o carrinho para a sorveteria Stringari. Comecei a pedir esmolas por várias cidades. Antes de virar mendigo de cidade em cidade, doei o meu grande freezer  para a Apae de Itajaí. Nunca pedi o freezer de volta. Eu escrevia várias frases em pequenas cartolinas, da seguinte maneira : "ME AJUDE A TER UM LAR PARA MORAR. COLABORAÇÃO ESPONTÂNEA : R$ 0,01 - R$  0,05 - R$  0,10 - R$  0,25 - R$  0,50 - R$  1,00 - Etc. "Eu não falava com mais ninguém. Não confiava em mais ninguém. Só voltei a falar com as pessoas, quando criei o meu abençoado Almanaque do Roberto.
* Filhos - Estou sendo muito pressionado pela mídia e pelos covardes a casar e ter pencas de filhos (as). Eu poderia ter muitos filhos para usá-los como escudo para conseguir ajuda fácil. Não sou casado, não tenho casa e nem  filhos, mas tenho a  Consciência das minhas dificuldades e dos meus problemas pessoais.
**********
SÃO JOAQUIM  SC - Quando comecei a pedir esmolas, passei desolado e envergonhado por São Joaquim. Eu estava de barba. Uma barba muito bonita. Deixei a barba crescer, porque o prestobarba estava deixando muitas cicatrizes no meu rosto. Eu fazia a barba com sabonete e prestobarba.Devido as perseguições policiais de cidade em cidade, eu usava a minha carteira de identidade, como crachá. Ainda tenho o meu RG e a foto 3x4 com barba. Assim mesmo fui assaltado e torturado dentro da antiga delegacia por vários policiais militares de São Joaquim. Eles disseram rindo e debochando, que não me reconheceram por causa da barba. Eles usaram até a minha carteira de trabalho, para bater na minha cara. O professor Galeno foi quem bateu e cortou os meus lábios com a minha carteira de trabalho. E o policial mais forte e preto era o que mais me batia nos músculos da perna e da barriga com um cassetete. A família dele que veio de fora não tinha nada. Em pouco tempo, a família desse policial  já tinha a maior padaria da cidade. Os PMs cheiraram as palmas das minhas mãos, e afirmaram rindo e debochando que eu era usuário de drogas (até os dias de  hoje não bebo cerveja , cachaça, pinga, conhaque  e nem fumo cigarros legais e ilegais, etc).  Alguns desses PMs já foram alunos do Colégio São José. Eram alunos que gazeavam ou faziam badernas dentro e fora da escola. Por isto criei a frase : Fugitivos da Escola.
************
SERRA NEGRA  SP -  Pedindo esmola de cidade em cidade, fui parar em Serra Negra. Nesta cidade fui assaltado por policiais militares. Depois fui despejado atrás do muro de um cemitério, de uma cidade vizinha, pela ambulância da prefeitura de Serra Negra. Os PMs roubaram todo o dinheiro que estava guardado no guarda volumes, dentro de uma empresa de ônibus na rodoviária. Deixaram apenas uma moeda de R$ 1,00.
**********
PINDAMONHANGABA  SP - Nesta cidade nasceu o político Geraldo Alckmin, acusado de roubar até merenda escolar. Nesta cidade fui assaltado pelo delegado e pelos guardas municipais. Os guardas municipais ficaram com o meu dinheiro. E o delegado ficou com quase 500  cartões telefônicos da Oi, que eu comprava para revender. O delegado alegou que os cartões telefônicos eram todos contrabandeados do Paraguai. Por causa desses bandidos, apelidei a cidade de Pingamonhangaba.
**********
CONCÓRDIA  SC -  Nesta cidade eu já não era mais mendigo. Eu já estava vendendo o meu Almanaque do Roberto. Nesta cidade  passei uma semana varrendo de graça as ruas da cidade, para mostrar aos moradores locais, que a polícia iria continuar me importunando, mesmo sem vender nada.  Os policiais inclusive passaram por mim com a viatura dizendo : "Varra bem tudo isso aí seu merda."  Varrendo as ruas de Concórdia, nenhum morador me ofereceu água, comida e nem dinheiro.
**********
FLORIANÓPOLIS  SC -  Fui assaltado a noite no meu quarto dentro do Hotel Aquarius. A janela do meu quarto, ficava no primeiro andar, de frente para um prédio habitado. Todos os hotéis exigem que eu pague o quarto adiantado. Abaixei as persianas, e já estava enrolado numa toalha de banho. Escutei umas batidas incessantes na porta do meu quarto. Ao abrir a porta, um assaltante empurra o recepcionista para dentro do meu quarto. Ele usava uma faca enferrujada em forma de revólver. Lutei com ele pelado. Segurando ele por trás a minha toalha caiu. Pedi para o recepcionista meio idoso, fugir e pedir ajuda. O socorro nunca chegou. Então soltei o bandido, e corri pelado pelos corredores do hotel, e fui se esconder debaixo das mesas na sala de café do hotel. O hotel estava cheio de câmeras na entrada e corredores. Deve ter filmado eu pelado, se escondendo na sala de café. Na esquina do hotel, tem uma câmera zoom com alcance de 4 km da PM. E na outra esquina tem o quartel dos bombeiros. E próximo do hotel, tem um batalhão da PM e uma delegacia da polícia civil. No dia seguinte o dono do hotel não pediu desculpas e nem ofereceu apoio. Quando  fui pagar a segunda diária, para passar mais uma noite, ele devolveu todo o meu dinheiro, pedindo para eu sair do hotel. Ele alegou que eu estava difamando o nome do hotel no meu site. E por telefone para o repórter Roberto Salum, da TV Record, ele reconheceu que  fui assaltado dentro do hotel. Mas mandou eu sair, porque eu não tinha dinheiro para pagar mais uma diária. E não quis falar mais nada, sem o advogado. O dinheiro da primeira diária ele nunca devolveu. A segunda diária ele devolveu e mandou eu procurar outro hotel, após o assalto. Deixei um exemplar do meu Almanaque do Roberto, debaixo do colchão no quarto onde  fui assaltado. OBS : o assaltante deixou cair uma folha de papel dobrada, que tinha o logotipo e o  carimbo da delegacia de polícia civil  da rodoviária de Florianópolis. O Hotel Aquarius fica na Rua João Cruz e Silva, 106 - Estreito. Etc.
**********

 

OBS : espero que algum dia eu consiga sair de Lages, e voltar a ganhar dinheiro com as vendas do ALMANAQUE DO ROBERTO, para melhorar a minha vida. Agora só falta algum idiota de Lages, me agredir e ofender porque comprei uma bicicleta. E também porque vou aprender a dirigir numa auto escola, etc.



Marcadores: